Acesse também nas redes sociais: 

EDITORIAL - NÃO DEIXE O GUERREIRO FERIDO MORRER!

09 JUL 2014
09 de Julho de 2014

Quando uma dificuldade abate-nos é que devemos mostrar o verdadeiro carácter de uma pessoa. Demonstrar amor nos momentos de alegria todos o fazem, mas agir com fidelidade e compaixão nos momentos de adversidade é tarefa incomum nos dias de hoje. Como pode-se deixar o saldado que se fere na guerra para trás? Como não reconhecer sua luta na batalha quando vigoroso?

No livro de Provérbios no capítulo 24 está escrito no versículo 10: "Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena.

Ontem para quem ama o Brasil, vivemos momentos de angústia e de apreensão. Se você é nascido nesse país, gostando ou não , convive desde que se entende como gente, com o esporte mais popular do mundo que é o futebol. Muitos ditos rivais do futebol brasileiro declararam sua tristeza pela perda do melhor jogador do Brasil e também pela derrota contundente de ontem. O técnico da Argentina Alejandro Sabella, ignorou a rivalidade amarga de seu país com o Brasil e disse que o futebol derramou uma lágrima e que o esse é o esporte mais improvável de todos. 

Um dos lideres da equipe e que sempre esbanja alegria, descontração  e carisma ontem exalou tristeza. O zaqueiro e considerado pela FIFA o melhor jogador até então, David Luiz,  fez o país chorar quando disse que "somente queria dar alegria para meu povo!"

Num dia que tudo deu errado para ele e o selecionado brasileiro, os alemães não perdoaram e selaram a maior derrota em mundiais, um acachapante 7x1 no placar.

Os protagonistas desse espetáculo ainda são garotos e muitos de nós torcedores, imputamo-los uma tarefa árdua de consertar o famoso "Maracanazo" da fatídica partida onde perdemos a Copa do Mundo de 1950 em casa para o Uruguai. Os meninos do Brasil carregavam 200 milhões de torcedores nos lombos, ávidos por uma vitória em casa, algo inédito por aqui. Na vida temos percalços, barreira e dificuldades comuns a todos os seres-humanos para romper. 

Vimos a garra o empenho de todos para que esse capítulo fosse diferente. Percebemos que cada um fez o que se achava o correto, o melhor...

Quando se faz o melhor, anda-se com a cabeça erguida. Essa foi mais uma etapa difícil, mas que temos que passar. Já dizia um velho homem, debruçado em seus 85 anos de vida: "Viver é para os fortes, os fracos abrem mão dela."

Força Brasil! 

A Rádio Som do Céu está com vocês, nas vitórias mas também nas derrotas!





EDITORIAL RÁDIO SOM DO CÉU
Voltar

Início      A rádio      Programação      Blog      Galeria      Contato